02 dezembro 2017

5 de DEZEMBRO – Mantido ato em Fortaleza!

Por compreender a importância de avançar na luta contra a reforma da Previdência e seguir crescendo com a força da nossa mobilização, O SINTSEF Ceará, assim como a CUT e a Frente Brasil Popular decidiram manter a participação no ato da próxima terça-feira, 5 de dezembro, no encontro da avenida Treze de Maio com Universidade, concentrando às 8 horas.

Confira a nota da CUT Ceará sobre a mobilização!

Companheiros e companheiras,

O adiamento da greve geral do dia 5 de dezembro estava previsto em âmbito nacional, caso a votação da reforma da Previdência fosse retirada da pauta. A mobilização sindical, dos movimentos sociais e da sociedade civil organizada está incomodando os parlamentares golpistas, que já estão sentido a pressão e recuaram. A CUT-CE, em consonância com a Central Nacional, considera fundamental manter a mobilização no dia 5 de dezembro.

Vamos parar o Ceará e o Brasil numa grande greve geral caso o governo ilegítimo ouse colocar em votação uma reforma que é rejeitada pela maioria absoluta da população. Em reunião durante a tarde desta sexta-feira (1º/12), em Fortaleza, as centrais sindicais (CUT, CTB, CSP-Conlutas e Intersindical), juntamente com as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, decidiram manter as mobilizações e atos em todas as regiões do estado, incluindo o ato do dia 5 de dezembro no cruzamento das avenidas da Universidade x 13 de Maio, no bairro Benfica, na capital. Concentração a partir das 8 horas.

Da mesma forma, devem continuar as atividades de pressão sobre as bases dos parlamentares para que não votem a favor da reforma. Vamos continuar as interpelações dos parlamentares em locais públicos, panfletagem e recepção nos aeroportos. Vamos continuar denunciando quem pretende votar a favor da reforma, e enviando mensagens para seus gabinetes. A pressão continua total, como temos feito desde o início de 2017, quando a CUT protagonizou uma intensa campanha contra a Reforma da Previdência, que percorreu os 184 municípios cearenses.

Mais do que nunca, precisamos – e vamos – permanecer em estado de alerta, vigilantes e mobilizados para impedir a votação dessa Reforma da Previdência. Um ataque nefasto e que retira direitos fundamentais da classe trabalhadora. Sabemos o tamanho da nossa responsabilidade e do nosso compromisso. Sigamos na luta! Sempre!

Wil Pereira
Presidente da CUT-CE.

Comentários Comentar